domingo, 22 de fevereiro de 2015

Encerrando nosso especial com as novelas escolhidas por nossos leitores, na primeira enquete promovida pelo blog, relembramos Cambalacho, excelente trama para o horário mais comentado do Canal Viva, o da meia-noite. Sucesso arrebatador, a novela de Silvio de Abreu merece figurar na faixa mais nobre do nosso canal preferido. O texto vem com um pedido de desculpas: embora prometido para sexta, só pude publicá-lo hoje, domingo, em virtude de compromissos de trabalho.


Armando eu vou...
Trama de Cambalacho é perfeita para meia-noite.

Você, com certeza, tem uma novela que adora, assim, de graça. Sem nunca nem ter visto sequer um único capítulo daquela trama, que só conhece de ler resumos na internet ou pequenas críticas em revistas de TV. Ou mesmo de só ter ouvido sua trilha sonora. É essa a minha relação com Cambalacho. Quando pequeno, ouvi, até mais do que ouvia os discos da Xuxa, a trilha internacional da novela, com a qual meu pai presenteou minha mãe na época em que os dois ainda namoravam. De 1991, época em que a novela fora reprisada, guardo poucas lembranças. Cenas avulsas, que se confundiam em minha memória e só foram encaixadas em um determinado contexto quando tive a oportunidade de acompanhar Cambalacho em DVD, numa gravação caseira referente a tal reprise no Vale a Pena Ver de Novo.

video

Mas como seria bom acompanhar a novela de Silvio de Abreu, brilhantemente dirigida por Jorge Fernando, na íntegra, com todas as cenas dos próximos capítulos e a vinheta de numeração que vinha depois do primeiro intervalo, exibido imediatamente após a cena que fechava o capítulo anterior e a abertura da trama. Cambalacho figura, ao lado de Tititi, no posto de maior audiência das 19h nos anos 80. Algo acima dos 60 pontos, que permitiram, inclusive, que a novela se mantivesse a frente de Selva de Pedra, cartaz das 20h da época, tradicionalmente o produto de maior audiência da TV Globo. A fórmula do sucesso? Uma trama muito bem urdida, uma direção eficaz e um elenco pra ninguém botar defeito.

A começar pelos protagonistas, Fernanda Montenegro e Gianfrancesco Guarnieri, ou Naná e Jejê, dois cambalacheiros de marca maior que, com pequenos golpes conseguem sustentar a prole recolhida por Naná das ruas de São Paulo e manter sua filha biológica em um colégio interno na Europa. Do outro lado da terra da garoa está o milionário Antero Souza e Silva (Mário Lago). Cansado da solidão, decide se casar com uma mulher misteriosa, oculta até mesmo de seu fiel mordomo, Olívio (Fábio Sabag). Antero também deseja aplacar a tristeza reencontra a filha que tivera com um grande amor do passado e que, na ocasião, se recusara a assumir. O endinheirado até tivera outro filho, Thiago (Edson Celulari), rechaçado pelo genitor por ter escolhido seguir carreira no balé, atividade pouco comum para um homem. Como contraponto ao jovem, Ana Machadão (Débora Bloch), filha de Jejê, deixa a feminilidade de lado para se dedicar à função de mecânica, na oficina que coordena ao lado do ingênuo Porthos (Maurício Mattar).



Apaixonado pela patroa, Porthos sofre ao ver que Ana, atrás de sua cara suja de graxa e do uniforme surrado, esconde o amor por seu irmão mais velho, Athos (Flávio Galvão), piloto de motocross. Os dois, mais o irmão do meio, Aramis (Paulo César Grande), foram criados com todo o esmero pelo devotado tio Biju (Emiliano Queiróz), que cozinha, lava, passa e costura. Biju é vizinho de Naná e da tresloucada Lili Bolero (Consuelo Leandro), cunhada de Jejê cuja carreira de cantora fora aparentemente destruída por uma interferência de Ângela Maria. Lili é mãe de Albertina Pimenta, a Tina (Regina Casé), versão tupiniquim da diva Tina Turner, completamente apaixonada por Aramis. Tina posa de rica para os colegas de trabalho da academia Physical, como a gerente Cibele (Duse Nacaratti), que constantemente desdenha dos ideais de grandeza da moça.

A administração da Physical é a principal atividade de Amanda (Susana Vieira), advogada de formação, casada com o também advogado Rogério (Cláudio Marzo). Assessor jurídico de Antero, Rogério é o primeiro a se opor ao casamento às escuras que o velho pretende realizar. A oposição se intensifica quando, em pleno altar, a identidade da noiva é descoberta: Andréia (Natália do Vale), ninguém mais, ninguém menos do que a irmã de Amanda, que, ao dividir o mesmo que esta e o cunhado, aproveitou para se jogar nos braços de Rogério, mesmo sendo constantemente rechaçada.

video


Rogério tenta persuadir Antero, mas o milionário está decidido a se casar com Andréia e assim o faz. A caminho da lua de mel, no entanto, começam os problemas conjugais do casal. Em pleno voo, Antero confessa a agora esposa que busca pela filha desaparecida. Embora aparente contentamento, Andréia se desespera ao saber que pode não herdar toda a fortuna de Antero. Aciona o irmão, Wanderley (Roberto Bonfim), para que este descubra, antes do velho, a identidade da criança enjeitada. Wanderley é casado com Ceci (Rosamaria Murtinho), exemplo de retidão de caráter e contraponto a irmã carreirista, que sempre leva o irmão para seus golpes. Longe de ter a sagacidade de Andréia e sempre confrontado com a honestidade de Ceci, Wanderley tem problemas com sua investigação acerca da filha de Antero. Sem saber a quem recorrer, procura Madame Narda, mais um dos disfarces de Naná, em seus muitos cambalachos.

A pobre ficou desesperada ao receber uma carta da filha que reside na Europa. Na última correspondência, Naná havia dito que estava morando em uma bela casa, com emprego de carteira assinada e casada com Jejê. Tudo mentira! Jejê foge de compromisso como o ‘coisa ruim foge da cruz’, os cambalachos são recorrentes e Naná ainda não deixou a Rua da Ponte, onde recebe a visita de uma assistente social, Matilde (Maria Helena Pader), após a denúncia de Lili Bolero a respeito das crianças abandonadas que a trambiqueira está abrigando. Matilde não leva os pequenos, diante do apelo emocionado de Naná, mas avisa que irá levantar a ficha da criminosa e agendar uma audiência no Juizado de Menores, para que possam certificar a adoção dos menores.

Precisando de dinheiro para melhorar o visual das crianças e a casa onde mora, antes de se encontrar com o juiz, Naná adota o pseudônimo de Madame Narda e passa a atender interessados em recuperar o amor perdido em três dias ou encontrar uma pessoa desaparecida, caso de Wanderley. Ludibriado pela cambalacheira, o irmão de Andréia entrega todo o ouro ao bandido, contando os detalhes da rejeição de Antero à criança e até a existência de um sinal de nascença na mãe da moça que, provavelmente, deve ter se perpetuado no bebê. Até mesmo um desenho da tal marca é entregue a Naná, que só não vai mais fundo no golpe, porque Jejê, interessado na história, se recosta numa das paredes falsas da sala de Madame Narda, derrubando todo o cenário. A tal madame que vê o passado e prevê o futuro é desmascarada, mas Naná já tem munição suficiente para orquestrar um novo golpe. E para auxiliá-la, surge um oportuno anúncio publicado por Antero, na volta da lua de mel de um casamento que ainda não se consumou. Ao colocar nos jornais que está em busca de sua filha desaparecida, o velho é surpreendido por toda a sorte de senhoras, interessadas em sua fortuna. Apenas uma, no entanto, possui a marca que Antero também deseja ver: Naná, que tatuou o sinal no lado direito das costas, tal e qual Wanderley havia lhe contado, iludido por Madame Narda.

A emoção é tanta que Antero desmaia em sua cadeira. Com medo de terem matado o milionário, Naná e Jejê tentam fugir, mas Olívio, a mando do patrão, os impede. Antero jura estar diante de sua filha e promete que irá recompensá-la por todos esses anos de abandono. Provando que é capaz de usar a má fé mais do que a colega de cambalachos, Jejê inventa uma triste história para justificar a miséria em que Naná vive. Consegue assim uma bolada de Antero, capaz de solucionar todos os problemas imediatos de Naná e seus filhos. Ao tomar conhecimento do ocorrido, Andréia, enfim, se deita com o marido, temendo que a rejeição a qual vem submetendo Antero a coloque para fora do testamento do velho. Enquanto isso, Naná, com a consciência pesada, decide que não irá utilizar o dinheiro que recebeu. Jejê tenta demovê-la da idéia, mas a mulher só se convence da necessidade de empregar a quantia após Matilde procurá-la novamente, lembrando que a audiência se aproxima. O problema é que, a essa altura, o cheque desapareceu!

Enquanto procura pela folhinha, Naná é surpreendida com a visita de Antero. Querendo se aproximar da filha, o milionário a convida para morar, com todas as suas crianças, em sua mansão. Naná, temendo que a farsa venha à tona, recusa o convite e se empenha em achar o cheque para sanar o quanto antes os seus problemas. Mas é Jejê quem, ao consertar o sapato de um dos pequenos, encontra o dinheiro, correndo ao banco para descontá-lo, sem sequer avisar a amiga. Ao despertar a desconfiança do gerente, Jejê vê seus intentos irem por água abaixo, quebra tudo na agência bancária e acaba preso. Não bastasse a noite no xilindró, Jejê ainda toma uma coça de Naná, em plena cela, numa das cenas mais divertidas da novela (e que guardei nas memórias da tal reprise de 91).

A pedido de Antero, Rogério e Wanderley partiram para Roma, decididos a convencer Thiago a voltar ao Brasil e se entender com o pai. Aproveitando-se da viagem, e da conseqüente solteirice, Rogério seduz a artista circense Debbie Day (Christine Nazareth), a ponto de propor casamento à ela. Casamento que, de fato, acontece. Não como manda o figurino, claro. Afinal, Rogério já é casado com Amanda, cujo irmão, Wanderley, compactua com a traição do cunhado, servindo até como falso juiz na cerimônia que une Debbie e Rogério. Embora inveje o advogado por suas conquistas amorosas, Wanderley não consegue pular a cerca, medroso que é, mesmo tendo em suas mãos beldades como Cláudia Raia, Luiza Brunet e Rosemary, participações especiais que abrilhantaram ainda mais a narrativa de Cambalacho.

Rogério agora tem duas esposas, enquanto Andréia almeja matar seu único marido. Após assistir diversos filmes de suspense, com exposição de crimes perfeitos, a vilã orquestra o plano perfeito para se ver livre de Antero. Convence o velho a ir para o Guarujá, onde pretende desfrutar de sua lancha. Em alto-mar, Andréia mistura um poderoso veneno à bebida de Antero e deixa a embarcação em seguida, para ver, de longe, Antero morrer ao passar mal enquanto comandava a lancha, fazendo com que esta se espatifasse contra as pedras que cercam a praia. A cena, memorável, foi repetida à exaustão no Vídeo Show, especialmente por conta do especial TV Ano 50, que, com uma eleição veiculada dentro do vespertino, buscava eleger a maior vilã da TV de todos os tempos. Andréia Souza e Silva era uma das candidatas, ao lado de rivais inesquecíveis, como Odete Roitman (Beatriz Segall), de Vale Tudo. Quem também presencia o acidente é Naná, levada por Athos ao litoral, onde pretendia pedir a Antero que intercedesse para que Jejê fosse posto em liberdade.

Já livre, o golpista vê os destinos de Naná e Andréia se cruzarem em definitivo. Ao abrir o testamento de seu cliente, Rogério lê, para a incrédula viúva e a surpreendida Amanda, o último desejo de Antero: deixar toda a sua fortuna para Leonarda Furtado, a Naná. Jejê, que por acaso estava na mansão Souza e Silva no momento da leitura do testamento, se desespera, partindo em disparada ao lado da filha Ana, que o acompanhava. A fuga marca o primeiro encontro de Machadão e Thiago, de volta ao Brasil por conta da morte da mãe. O rapaz tenta impedi-la de sair desabalada da mansão e Ana, com raiva da intromissão do bailarino, atira uma pedra em sua direção, acertando a cabeça do pobre coitado. Os dois se esbarrariam de novo, tempos depois, em um acidente de trânsito, no qual Ana, em um caminhão, joga o carro de Thiago para fora da estrada. Ela presta socorro e o acarinha no hospital, enquanto o jovem está inconsciente.

Assim como suposto irmão, Naná também fica com a cabeça em frangalhos quando Rogério vai até sua casa tratar da herança. Temendo que seu golpe tenha sido descoberto, ela desanda a falar e só entende de fato a situação ao ser apresentada a Amanda, que lhe trata como a herdeira de Antero. O problema é que o encontro das duas acontece na Physical, sob os olhos de Tina e Aramis. A maluquinha mal chega na Rua da Ponte e já espalha, tendo o amado como testemunha, que dona Naná agora é rica! O que ela não imagina, e nem os vizinhos que clamam por um auxílio financeiro, é que a cambalacheira, mais uma vez preocupada com seus perigosos trambiques, decidiu recusar a bolada.

Sem grana novamente, Naná quase cai na esparrela de Andréia, que a procura para lhe ofertar uma significativa soma. Em troca, a cambalacheira deve abrir mão da herança de Antero. Só que Jejê, que não é bobo nem nada, logo percebe o golpe. Com o cheque em mãos, Naná pode ser acusada por Andréia de ser uma pessoa de má fé. E se ela tem tanto interesse em fazer com que a golpista recuse o que é seu de direito, logo esse patrimônio deve ter um valor inestimável. Convencida pelo amigo, Naná procura Rogério e diz que irá aceitar o dinheiro. Jejê fica exultante com a possibilidade de tirar o seu desse bolo, sem imaginar, no entanto, que Naná tem belos planos para ele: os dois irão se casar para que Jejê possa assim ter direito sobre a fortuna. O sacana não está disposto a topar o acordo, embora suas dívidas com agiotas, o leve a aceitar. Só que Lili Bolero, apaixonada pelo cunhado, decide que irá impedir essa união. Para amedrontar Naná, se veste como a falecida mulher de Jejê e invade o quarto da cambalacheira na calada da noite, causando espanto na pobre coitada, que põe fim aos planos de se unir a seu grande amor.

Falando em amor, Ana e Thiago conseguem se acertar. Por telefone! Ao ligar para a casa da moça que o ajudou após o acidente de trânsito, Thiago é atendido por Ana. Mas a voz doce da moça, que destoa por completo do seu temperamento agressivo, o faz se apaixonar. Numa confusão, porém, Ana mente a Thiago que se chama Cristina, o que o leva a pensar, inclusive, que ele está apaixonado por Tina Pepper. O bailarino só descobre que Ana mora com Tina quando decide procurar pela casa de sua amada. Ana, consertando a fiação da sala, acaba por causar um novo acidente com o rapaz. Os dois só acertam os ponteiros quando Ana conserta o carro de Thiago. Grato, ele passa a tratar a moça com mais carinho, ao qual ela retribui. Pouco depois, Ana confessa a Thiago, durante uma briga, que vem falando com ele usando a identidade de Cristina. O bailarino não leva fé na história e a mecânica, irritada, atira novamente uma pedra em sua direção. Ao vê-lo desmaiado, Ana se aproxima do rapaz e começa a falar de forma meiga, fazendo com que Thiago, num sobressalto, acorde e admita: Ana é sua tão amada Cristina! Os dois então iniciam um romance, marcado pelas diferenças gritantes no perfil de ambos. É hilária, por exemplo, a cena em que Thiago leva Ana a um restaurante chique e ela, com seu estilo inigualável, é confundida com um homem ao entrar no banheiro feminino.

Enquanto isso, Amanda e Rogério se separam. O advogado arma uma festa surpresa para comemorar o aniversário da esposa. Só que é ele quem acaba surpreendido, quando Debbie Day sai de dentro de um enorme bolo, em uma armação arquitetada por Andréia para minar o relacionamento da irmã. Tão logo sai do bolo, Debbie vai até Rogério e o beija apaixonadamente, atirando sobre Amanda, em seguida, o registro de seu casamento na Itália com o advogado. Revoltada com a traição, a dona do Physical pede a separação e alerta o marido: a partir daquele instante, ela volta a atuar como advogada e irá defender Naná nos tribunais, enquanto ele, ludibriado por Andréia, tomará partido da viúva. Pouco depois, Ceci reconhece Naná como Madame Narda, a quem conheceu ainda na época do golpe da cambalacheira. Ela comenta suas suspeitas com o marido e Wanderley, intrigado, decide ir até a Rua da Ponte tirar essa história a limpo. Descoberta toda a armação de Naná para conseguir se passar pela filha de Antero, Wanderley a pressiona: também quer seu quinhão!

Acuada, Naná decide se abrir com Amanda. Revela todo o golpe para cima do milionário, inclusive a falsa tatuagem. Athos, sacana como sempre, ouve toda a conversa e decide guardar essas preciosas informações para usá-las quando surgir a oportunidade. Já Amanda precisa reverter tal quadro e fazer com que Naná, perante a juíza (Zilka Salaberry), omita toda a história do golpe. Amanda bem que se esforça... Ela acusa Andréia de ter tentado subornar a cambalacheira, usando o cheque que a irmã deu a Naná. Já Rogério, na defesa de sua cliente, pressiona Naná até que ela confesse em alto e bom som que não é a filha desaparecida de Antero. A saída é Amanda ler a íntegra do testamento, no qual o milionário deixa claro que quer que sua fortuna vá para as mãos de Naná. É assim que a juíza dá ganho de causa à pobretona.



Sob os olhares invejosos de Lili e Tina, Naná e Jejê se mudam para a mansão Souza e Silva. Tina bem que tenta embarcar junto nessa, mas o máximo que consegue é desfrutar da boa vida que tem em suas constantes visitas à inimiga da mãe. A essa altura, Tina já havia descoberto com uma das clientes da academia (Wilza Carla) o poderoso livro ‘O Segredo da Salamandra: 6.522 maneiras de conseguir os homens que você sempre sonhou’. A cópia falsificada de Tina Turner surrupia o exemplar e trata logo de seguir uma macumba sugerida na publicação para conquistar Aramis. O plano dá certo! Aramis cai de quatro por Tina, chegando a ficar noivo da moça. Só que tempos depois, os meninos do bairro, durante uma pelada, acertam uma bolada na cabeça do esportista, que sai do transe e passa a rejeitar Tina novamente. Também seguindo o livro, Lili consegue seduzir Jejê, que passa a rechaçar Naná de todas as formas, inclusive na festa que esta dá para comemorar sua entrada no high-society. A paixão de Jejê por Lili é tanta que ele chega ao subir ao altar com ela, só que no momento em que o padre abençoa a união, jogando água quente sobre os noivos, Jejê desmaia e acorda pouco depois, livre do feitiço e doido para se unir a Naná.

A cambalacheira, nesse instante, está passando por um revés até então inimaginável. Em meio a sua festa de recepção na alta sociedade, o administrador dos bens de Antero, Ourives (Moacyr Deriquém), procura Amanda, para lhe dizer que as ações herdadas por Naná são falsas e a verdadeira fortuna do velho está desaparecida. Amanda espera a festa passar para só depois contar a Naná e Rogério o que acontecera com os bens de Antero. Athos, novamente, ouve tudo e decide procurar a fortuna. Abre o cofre da mansão sorrateiramente e se surpreende ao encontrar ali apenas um ursinho de pelúcia. Decepcionado, atira o brinquedo pela janela. O que ele nem imagina é que o ursinho em questão esconde muito segredos, como demonstra Olívio ao encontrar a pelúcia no jardim e guardá-la com todo cuidado.

Athos já está envolvido até o pescoço com a disputa da herança. Pouco antes de afanar o ursinho, ele procurou por Andréia, a quem deixou claro: sabia de todas suas armações para tirar a vida de Antero, já que estava na cena do crime. Com medo de ser descoberta, a vilã orquestra a morte do bandidinho. Sabota sua moto, fazendo com que, durante uma competição de motocross, o veículo exploda. Só que Ana percebe as avarias na moto e salva Athos a ponto. Ciente de que este foi mais um crime planejado por Andréia, Athos torna a procurá-la e propõe uma aliança na busca pela herança de Antero. O primeiro passo da dupla é minar a relação de Amanda e Rogério, que voltaram a se entender. Athos irá seduzir a advogada, enquanto Andréia, enfim, consegue se envolver com o cunhado. Este relacionamento, no entanto, não dura muito. Rogério descobre que fora Andréia quem trouxe Debbie Day ao Brasil e passa a execrá-la. Novamente, procura Amanda e se acerta com ela.

A chegada de Daniela (Louise Cardoso), filha de Naná, movimenta a narrativa de Cambalacho, no terço final da trama. Acompanhada do noivo, o conde Jean Pierre (Luiz Fernando Guimarães), e de seu sogro, duque Armand (Oswaldo Loureiro), a moça se instala na mansão da mãe e causa alvoroço com seu comportamento suspeito. Por conta de seu namoro com Ana, que agora vive com o pai na mansão, Thiago acaba reencontrando Daniela, uma antiga namorada sua, que ele sabe vivia de pequenos golpes na Europa. O charme da arrivista, no entanto, faz com que o moço fique balançado, o que impede de contar a Naná que sua filha não tem a boa índole na qual a mãe acredita e o leva a se separar de Ana. Daniela prejudica também os seus irmãos adotivos, ao convencer Naná a interná-los em um colégio interno e subornar a diretora da instituição (Renata Fronzi), exigindo que ela aplique castigos severos nas crianças.

Sabendo que a presença de Daniela é nociva a todos que a cercam, Thiago a agarra em plena mansão Souza e Silva, fazendo com que ela confesse a Naná que os dois foram namorados enquanto viviam na Europa. Mais: levanta a ficha de Armand e Jean Pierre, descobrindo que os dois são brasileiros, procurados pela polícia por conta de seus cambalachos. Daniela se faz de inocente e diz que, por dever uma grande soma a Armand, concordou em apresentá-lo a sua mãe, com quem o falso duque pretende se casar e assim roubar todo seu dinheiro. Mas Thiago não precisava nem ter se esforçado para derrubar os dois trambiqueiros. Os próprios se denunciam ao se verem envolvidos com Lili Bolero e Tina Pepper. Esta, desfilando por um shopping, arrebata Jean Pierre, que a persegue por todas as lojas. Acuada, Tina foge, deixando o sapato para trás. Jean batalha até reencontrar sua Cinderela, a quem confessa ser João Pedro, malandro carioca, disposto a largar o mundo do crime para ficar com sua Tina.

Armand, por sua vez, é reconhecido por Lili Bolero como sendo Armandinho da Cruz, o homem que a deflorou no passado. O reconhecimento se dá após um golpe orquestrado pelo bandidão, que dopa Jejê e o coloca em um flagrante de adultério, o que faz com que Naná o expulse da mansão. Decidido a provar sua inocência, Jejê, com a ajuda de Lili, sequestra Armandinho. Lili, no entanto, se vê obrigada a soltar o refém, quando este diz saber que ela não é cunhada de Jejê, uma vez que fora criada no orfanato e nunca teve irmã nenhuma. Para manter o ex de bico calado, Lili confessa a ele que Tina é sua filha, o que causa um surpreendente surto de consciência em Armadinho, agora decidido a ajudar a filha.

Nesse meio tempo, Andréia resolve se mexer e entrar de cabeça na disputa pela herança de Antero. Ela invade o escritório de Rogério e intercepta um importante telegrama, que revela que Antero guardou no exterior uma alta soma, em nome de Thiago. Sem escrúpulos, a vilã decide seduzir o enteado que, bêbado, assina uma procuração lhe dando plenos poderes. O que Andréia sequer imaginava é que a procuração de nada valeria sem uma autorização de Olívio, administrador dos bens de Antero no exterior. Ao lado de Dominique (Jacqueline Laurence), a professora de etiquetas de Naná, Olívio se empenha em descobrir a verdadeira filha desaparecida do patrão e também em manter seu patrimônio intacto à espera da herdeira. Dominique não tarda a confessar tais intentos a Naná, revelando ser uma detetive contratada por Antero pouco antes de sua morte. Mais: a cambalacheira pode, sim, ser filha do milionário!

O problema é que Andréia pretende, cada vez mais, complicar a vida de Naná. Ao saber por Athos que a golpista estava presente na cena da morte de Antero, Andréia induz o amante a procurar Rogério e contar uma nova versão do crime. Não tarda para que a polícia procure Naná, avisando que ela será intimidada a depor sobre o caso Antero Souza e Silva. Enquanto isso, Andréia continua se empenhando em seduzir Thiago, flagrado por Ana aos beijos com a madrasta, o que causa o rompimento definitivo do casal e uma conseqüente reaproximação com Daniela, a quem o bailarino surpreende quando lhe conta que Naná não recebera herança alguma. Temendo se complicar ainda mais, Daniela diz a mãe que nada sabia sobre a farsa de Armand e Jean. Naná, sentindo-se culpada, chama Jejê de volta à mansão e pede que ele expulse Armandinho dali. O cambalacheiro adora a ideia! Sem pensar duas vezes, solta os cachorros em cima do amado de Lili Bolero...

Thiago, por sua vez, continua agindo como um verdadeiro herói. Descobre que Andréia tentou lhe passar a perna e, para castigá-la, anuncia que irá doar seu dinheiro a Naná. Também conta a Jejê que Daniela compactuava com as armações de Armandinho e João Pedro. A revelação coincide com outra descoberta, feita por parte de Dominique: Daniela não é a verdadeira filha de Naná. Acuada, a interesseira decide se livrar de Naná e a entrega a polícia. A cambalacheira resolveu fugir com Jejê após se atrapalhar toda com o depoimento a respeito da morte de Antero e, assim, ter sido indiciada.

Usando de fotos comprometedoras de Thiago, da época em que o rapaz precisou se virar para sobreviver em Paris , Daniela o convence a se casar com ela. Mas Jejê, sabendo que o rapaz não possui nenhum interesse na moça e estranhando a repentina união, decide intervir, colocando a bandida para fora da mansão, embasado pelas descobertas de Dominique. De posse das fotos usadas na chantagem, Ana consegue libertar Thiago dos intentos criminosos de Daniela. Já Jejê, com a ajuda de Rick (Marcos Frota), filho de Ceci, consegue libertar Naná. Rick leva seu circo para se apresentar na penitenciária em que a cambalacheira está. Naná então se fantasia de palhaço e sai em disparada com a trupe. Ao chegar à mansão e ser surpreendida pelas novidades acerca de Daniela, Naná faz uso da mesma tática que Jejê e usa os cachorros para colocar a moça dali pra fora. Cabe a Daniela se sustentar com o emprego de Mulher Gorila, em um parque de diversões.


Armandinho, por sua vez, convence Lili a emprestar sua voz para um disco a ser gravado por Tina. Com o hilário hit ‘Você me Incendeia’, Tina alcança o estrelato, chegando a se apresentar no Cassino do Chacrinha. Famosa, a moça dispensa João Pedro e se une a Aramis. Já Lili não tem a mesma sorte. Termina como estrela da churrascaria Traseiro de Boi, assessora, claro, por seu amado e mentor, Armandinho.



O destino de Andréia se define a partir da descoberta de Rogério acerca das mentiras que incriminam Naná, no caso Antero. O advogado assume a defesa da ré, conseguindo inocentá-la. Encurralada e decidida a impedir a felicidade da irmã, antes de sumir no mundo, Andréia incendeia a Physical e só não causa a morte de Amanda porque Aramis, que sempre fora apaixonado por ela antes de se render ao charme de Tina, a salva. Andréia e Athos decidem fugir do país, não sem antes roubarem o dinheiro que Thiago entregara a Naná. A grana, escondida no quarto das crianças na casa da Rua da Ponte, é roubada por Athos, que acaba sendo visto por um dos pequenos. Assim, Naná e Jejê sabem que o vizinho está com a pequena fortuna e planeja fugir com Andréia. No aeroporto, a vilã dispara contra Rogério, ferido sem gravidade, e embarcar em um avião ao lado do amante. Naná e Jejê perseguem ambos, também a bordo de uma aeronave.

É aí que se inicia uma dos finais mais surpreendentes de todos os tempos! Sílvio de Abreu, mestre em transformar o destino de suas vilãs em cenas grandiosas (vide o suicídio de Laurinha Figueroa em Rainha da Sucata), induz o público a acreditar que Andréia, passando mal, pediu a Athos que voasse mais baixo, o que fez perder o controle do avião e bater contra uma casa, causando a explosão de aeronave. Ledo engano! Athos morreu na explosão, mas Andréia, que todos acreditavam ter tido o mesmo destino, ressurge na Espanha, após ter saltado de pára-quedas minutos antes da tragédia, gastando a fortuna que surrupiou de Naná. Só que o dinheiro escondido no quarto das crianças era falso! Logo, Andréia é capturada pela Interpol, deportada, julgada tendo Rogério como advogado de acusação e presa! Foi ou não foi uma trajetória surpreendente? Talvez o único caso de vilã a princípio morta, depois impune, e por fim, castigada.

Em meio ao destino de Andréia, vemos que Amanda e Rogério enfim se acertaram. Já Ana e Thiago, após discutirem no trânsito, mais uma vez, se entregam ao amor. E o ursinho do rapaz que Olívio guardara revela, enfim, a verdadeira identidade da filha de Antero. Quatro suspeitos são apresentados: Naná, Lili Bolero, dona Dedé (Leina Krespi), moradora da Rua da Ponte, e seu Biju, que fora criado como menina na infância. É dona Ubiratânia (Henriqueta Brieba), grande amor de Antero, quem conta a verdade. Após reconhecer objetos escondidos dentro do ursinho que comprovavam seu romance com o milionário, Ubiratânia revela ter perseguido a filha a vida toda. E a tal filha é... Naná! Milionária, agora por direito, a cambalacheira se casa com Jejê e recebe a verdadeira filha, Daniela (Cristina Pereira). Radiante, Naná diz que adoraria ver sua felicidade se espalhar pelo mundo todo!


É assim que a cidade de São Paulo começa a dançar ao som da música da novela. E Cambalacho chega a seu final... Um sucesso que o Canal Viva não pode deixar pra trás!

Nenhum comentário:

Postar um comentário